Os seus óculos de sol têm filtro UV?

Postado por webmaster 25/03/2016 0 Comentários

“Os olhos têm vários mecanismos de defesa em relação à luz – como pestanejar, fechar os olhos e a pupila reagir, contraindo-se e limitando a quantidade de radiação que chega à retina”, explica Manuela Carmona. Quanto mais escura for a lente, melhor “bloqueia a luz visível, enganando este sistema de defesa”. Como tal, a pupila não reage, mantendo-se dilatada, o que faz com que, no caso dos óculos sem filtros UV, “uma maior quantidade de raios entre no olho e provoque lesões oftalmológicas”, complementa José Pedro Silva.

Desta forma, torna-se peremptório utilizar uma protecção adequada: lentes com boa qualidade óptica (para evitar a distorção das imagens) e, sobretudo, capazes de bloquear a radiação UV entre 80 e 100 por cento e a luz visível entre 75 e 90 por cento. Para além disso, devem ter um formato que se ajuste às feições do rosto, para proteger os olhos em todos os ângulos, nomeadamente da incidência lateral.

Cuidados a ter na hora da compra
Na altura de comprar um novo par de óculos de sol deve-se procurar, antes de mais, a marca CE – que certifica que estão homologados segundo a directiva da Comissão Europeia – mas só isso não chega. A norma técnica relativa aos filtros solares não é obrigatória, embora Teresa Moreira, directora da Direcção-Geral do Consumidor, refira que “as normas adoptadas pelos organismos europeus de normalização, apesar de serem documentos de seguimento voluntário, assumem por vezes um estatuto quase legal”, constituindo-se como “normas de referência”. Ainda assim, embora a maioria dos óculos de sol tenha filtros contra os raios ultravioleta – e quase todos os que encontrámos no mercado tinham –, não é garantido ou obrigatório que todos tenham este tipo de protecção.

Depois há que procurar a indicação relativa aos filtros UV, que pode estar colocada nas lentes (em forma de autocolante ou holograma), no interior das hastes, na caixa dos óculos, etiqueta ou num certificado entregue no acto da compra. A protecção indicada deve ser, preferencialmente, “UV100%”, “protecção 400” ou filtro 3 ou 4, estes segundo a categoria standard da CE. Em qualquer um dos casos a filtragem de raios UV é a mais desejada, mas há que ter em consideração que em caso de filtro 4, categoria máxima, a cor da lente é também a mais escura, não sendo indicada para conduzir.

Mesmo assim, não é certo que tudo seja integralmente cumprido ou que os selos não sejam contrafaccionados. Por isso, a Deco, num artigo escrito em Julho do ano passado, recomenda a compra de óculos de sol em lojas especializadas. Todos os óculos vendidos nas ópticas têm, à partida, filtros UV e os de design português representados pela Proóptica também “são acompanhados por um certificado de garantia, que certifica a protecção contra as radiações ultravioleta”.

Para José António Tenente (parceiro da Proóptica), o processo de criação de um novo modelo de óculos tem como ponto de  partida a protecção solar: "Quando estamos a desenvolver uma nova colecção essa é uma questão de fundo que está sempre presente e que portanto está equacionada. O gabinete de desenho, tendo isso em conta, parte livremente para a criação". Miguel Vieira, criador de moda que também tem uma linha de óculos de sol e armações, refere que "a primeira preocupação é com a parte estética, a ergonomia dos óculos, os mil e um materiais possíveis em termos de componentes e cores e acabamentos”. Ambos contam com parcerias técnicas na produção das lentes que garantem que todos os seus óculos de sol têm protecção contra os raios ultravioleta, por “uma questão de qualidade e protecção”, reafirma Miguel Vieira.

Fonte: Lifestyle Bem Estar

Deixe um comentário